--> Dia da criança e da Padroeira do Brasil | Campanha Contra a Violência Skip to main content

Dia da criança e da Padroeira do Brasil

Doze de outubro, independente de ter ou não religião e qual credo religioso pertença, é o dia da padroeira do Brasil. Os brasileiros católicos se prostram de joelhos para renderem homenagens àquela que é a Mãe de Deus Filho, a Rainha e Padroeira do Brasil. Exorto à Imaculada Conceição Aparecida, que cubra o País com seu manto azul e que suas generosas bênçãos sirvam de consolo e proteção a todos os brasileiros. Quantas vezes pessoas tão próximas pela amizade, vínculo de parentesco consanguíneo ou por afinidade, encontram-se distantes por terra e necessitam de uma mão amiga ou ajuda que extrapolam as nossas reais possibilidades, peço então, a Mãe Aparecida que seja presença confortadora que lhes deem força e vida onde quer que estejam e situação em que se encontrem.

No dia da criança, comemoração ou decepção?
Existe o “ECA” de Proteção à Criança e ao Adolescente. Pergunto, se a lei é boa, porque não foi colocada em prática? Se foi, porque os resultados não são bons? Se o Estatuto da Criança e do Adolescente estiver além das possibilidades do Brasil, adaptá-lo à nossa realidade talvez seja o recomendável.

Falta em muitas cidades Centro de Reeducação e Recuperação do menor infrator e/ou na eminência de desvio de conduta. Pergunto, é falta de terreno com tanta terra ociosa? É falta de recursos financeiros quando, se faz uso do dinheiro público para tantas coisas importantes mas, às vezes, de menor prioridade? É falta do menor infrator que necessita de reeducação e/ou para aqueles que caminham para a marginalidade? É falta de recurso humano para cuidar deste seguimento da sociedade tão importante para as famílias, para a sociedade e para o presente e o futuro do Brasil? Ou é falta de interesse e sensibilidade das autoridades e nossa? Faça um paralelo dos comportamentos do ser humano com os animais, como se sabe: 1 – A galinha embora seja um animal frágil é capaz avançar de unhas e bico contra o agressor de seus filhotes; 2 – A cadela em defesa dos seus cachorrinhos faz o mesmo; 3 – O porco, considerado animal imundo, é capaz de estraçalhar de dentes seu próprio dono em defesa de seus queridos filhos. Estes pequenos têm no mínimo seus donos e respectivas mães para defendê-los. Não se pode aceitar que numa sociedade tida como civilizada, se encontre grupo de crianças nas ruas desacompanhadas de seus pais ou responsáveis, hipótese que seriam consideradas abandonadas, no Brasil parece normal. Isto é normal? Estamos vivendo e convivendo com tantas injustiças e anormalidades que nos leva a perda da sensibilidade. Chegamos a pensar que as coisas são assim mesmo, que está tudo normal.

“Quando se acha normal, algo anormal, estamos ficando anormais”.

A mente de uma criança recém nascida é semelhante a um livro em branco, encontra-se vazia. A respeito do livro nada se pode afirmar quanto a sua qualidade que pode ir de péssima a excelente, dependendo do que se escreve nele. Diz a bíblia que Jesus crescia em tamanho, graça e sabedoria. Que sabedoria é essa? No caso de Cristo ela provém dos dons do Espírito Santo. Em relação à população, somos um povo santo e pecador. Temos defeitos, qualidades e um pouco de Divino, por conseguente, repassamos às crianças conhecimentos com falhas, acertos e sabedoria, transmitidos pelos: pais, irmãos mais velhos, pela doméstica, educadores, amigos, colegas, etc. Compete em primeiro lugar aos pais a responsabilidade da formação de seus filhos. Caso sejam defensores dos valores éticos, morais e cristãos seus ensinamentos serão preciosos. É bom lembrar que as crianças gostam de imitar os adultos, especialmente aos pais, em virtude disto, deve-se dar bons exemplos, em assim procedendo estará perpetuando a forma de se comportar, ser e agir. Colocando em prática bons gestos, atos e atitudes estão testemunhando a bondade de Deus encarnada no ser humano. Todo bem passado às crianças tende se a produzir bons frutos, assim agindo, os pais vão ter filhos multiplicadores de boas ações. Ao contrário, correm o risco de verem, no futuro, os filhos substituindo os marginais do presente. Pense nisto.
Frente ao exposto, peço a Mãe de Deus e nossa, Rainha e Padroeira do Brasil proteção as crianças, sensibilidade e sabedoria as autoridades e a todos os que trazem consigo responsabilidade na formação da criança e do adolescente.

Parabéns às crianças. Viva Nossa Senhora Aparecida.

Sobre o Autor



Comente

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Entendemos que a forma mais civilizada e simpática de combater a violência é promovendo a paz. Construir a paz é urgente e necessário. É missão de todos.
Acompanhe