Skip to main content

Discurso de Joaquim Cândido da Silva na Câmara Municipal de Montes Claros

Senhor Presidente Claudio Prates.
Na pessoa do nobre Vereador Edmílson Magalhães, saúdo vossa excelência, os senhores Vereadores presentes, autoridades civis, militares e eclesiásticas, que compõem a mesa de honra, já nominadas pelo cerimonial.

Na pessoa do Dr. Newton Figueiredo, saúdo esta maravilhosa plateia constituída de parentes e amigos que vieram prestigiar-me com suas honrosas presenças.

Senhoras e senhores. Neste momento, aos olhos de Deus e aos pés da esperança, me encontro: transbordando de entusiasmo, com a alma em festa e o coração pacificado, para melhor participar desta alegria conjunta.

Hoje, ficará marcado na minha história e da família, dos vicentinos e colaboradores do Lar Betânia, dos amigos e pacifistas, que contribuíram direta ou indiretamente com a Campanha Contra a Violência em prol da construção da paz e harmonia entre os povos.

Senhor Presidente, a grandeza da vida se manifesta na simplicidade de pequenas ações em defesa dela. Referindo-me à Campanha Contra a Violência, site www.contraaviolencia.org Ela surgiu motivada pela solidariedade de seus fundadores às vítimas da violência e tendo como fundamentos, quatro pilares, não necessariamente nesta ordem:
1. Promover a paz mundial e harmonia entre os povos;
2. Resgatar o moral da família tornando-a reserva de valores;
3. Despertar nas pessoas a consciência do exercício da cidadania;
4. Propor ao cidadão rever conceitos, analisar procedimentos e assumir responsabilidade de resolver problemas de ação e justiça social.

São objetivos da campanha:
1. “Transformar o Brasil na Bandeira da Paz”;
2. E o planeta: “Num Mundo sem Guerras e sem Violência”.

A violência se combate com justiça. Justiça é reconhecer, respeitar e resgatar o direito de todos, sobretudo, de viver dignamente.

Construir a paz é urgente e necessário. É missão de todos. A paz e harmonia entre os povos dependem da forma de pensar, ser e agir de cada um e do nosso testemunho, da bondade de Deus encarnada no ser humano. A Campanha entende que a forma mais civilizada e simpática de combater a violência é promovendo a paz. Para que isto aconteça é preciso que aprendamos: conviver com as pessoas, respeitar as diferenças e exercitarmos a cultura do perdão e da paz. Se necessário: “Para a luz de Deus brilhar, transforme-se em lâmpada”.

Como pessoa de bem, não permita que a árvore do pecado e do crime, chamada violência, produza frutos e sobreponha à árvore da vida. A paz e harmonia no mundo dependem de nossas ações. Não se omita.

“Chegou à hora de construir a paz, ninguém suporta o desamor”

Para construir a paz é preciso largar as armas, usar ferramentas adequadas, falar e agir como pacifista, usar termos e ideias que enalteçam a paz e não a violência. É necessário, combater de forma eficaz: A corrupção, a fome, o racismo, a discriminação, o tráfico de órgãos e humanos e unir-mos forças numa ação pró-paz. Assim agindo, senhoras e senhores, tenho convicção, que um dia, justiça e paz se abraçarão e onde puserem as mãos, Deus colocará generosas bênçãos.

Senhores, vivo um momento de emoções extremas:
1. Por um lado, tudo é motivo de alegria. Ser homenageado com o título de “Cidadão Benemérito de Montes Claros”, me deixa feliz e honradíssimo;
2. Por outro, sinto-me que algo está faltando. Até o momento não conseguimos realizar o principal objetivo da Campanha. Suplico bênçãos ao Pai Eterno, com ajuda de Deus e nosso empenho, havemos de conseguir:

“Transformar o Brasil na Bandeira Mundial da Paz”

O Hino da Campanha Contra a Violência foi escolhido em Concurso Nacional, Poesia livre – 2014, Novos Poetas, para compor o Livro Antologia Poética.

Refrão do hino:
“Mudar uma cidade, um estado, uma nação”
“Pode até mudar o mundo se a gente der as mãos”.

Último quarteto:
Unir é somar para conseguir
A boa ação a gente deve prosseguir
Contra a violência tudo a gente faz
“Montes Claros agindo pela paz”.

Em virtude de encerrar homenageando Montes Claros, sugere ao Senhor Prefeito, Ruy Adriano Muniz, com a colaboração dos Senhores Vereadores, edificar monumento à paz, na região central ou nas entradas da cidade. Penso que será um diferencial e trará dividendos à “Paz” e inspirará: municípios, estados, o Brasil e nações, deste e de outros continentes, seguirem o exemplo desta população pacífica e pacifista.

Agradeço o apoio incondicional da minha querida família: esposa, filhos, nora, irmãos e sobrinhos, o autor do projeto, Vereador Edmílson Magalhães e seus pares, pela aprovação unânime. Agradeço aos amigos e a imprensa: escrita, falada e televisiva.

Para finalizar. Se três palavras são necessárias e suficientes para externar meus sentimentos de gratidão, alegria e paz, lá as vão: Deus lhes pague.

Joaquim Cândido da Silva recebe Título de Cidadão BeneméritoJoaquim Cândido da Silva recebe Título de Cidadão Benemérito

Sobre o Autor



Comente

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Entendemos que a forma mais civilizada e simpática de combater a violência é promovendo a paz. Construir a paz é urgente e necessário. É missão de todos.
Acompanhe