Skip to main content

Pontos que diferem esta campanha das demais

Legenda:

  1. Se refere à Campanha Contra a Violência;
  2. Às demais campanhas.

 
1) Ausência de vinculação:

  1. A campanha não está vinculada à política partidária, religião, agremiação esportiva, organização não governamental nem a instituição pública ou privada;
  2. Normalmente as campanhas possuem vinculação, o que não tira seus méritos.

2) De caráter permanente:

  1. A campanha é uma filosofia de vida de seu idealizador, sem limites no tempo ou espaço. Onde quer que esteja, lugar ou tempo e situação em que se encontre, procure identificar e erradicar as raízes da árvore do crime e do pecado chamadas violência. Como pessoa de bem, não permita que elas venham prevalecer sobre a árvore da vida;
  2.  As demais são periódicas e/ou de curta duração, tempo suficiente para atingir seus objetivos.

3) Universalidade:

  1. Para a violência não existe fronteiras, ela acontece infelizmente, onde estiver o ser humano. Sabendo desta triste realidade fica autorizada a reprodução da campanha, em qualquer idioma, desde que seja com recursos próprios, usando a logomarca e mantidos seus princípios e fundamentos originais. A campanha visa combater a violência num sentido amplo em benefício do ser humano;
  2. As campanhas são direcionadas a um público definido por exemplo: Campanha do agasalho.

4) Gratuidade:

  1. Qualquer pessoa física ou jurídica que aderir a campanha fica autorizada, com os meios e recursos que dispuser, conforme os relacionados no artigo 1º e seus parágrafos e no artigo 3º de seu regimento, reproduzir e divulgar este trabalho, sem, no entanto, cobrar por serviços prestados, vender material feito para divulgação da campanha e/ou angariar recursos ou se valer dela para fins políticos e outros que não sejam a busca da paz. O simpatizante pode participar ministrando palesta, direcionando alguém no caminho certo, dando bons exemplos, praticando gestos de paz e nobreza em favor da criatura Divina, “enaltecendo a humanidade”. Se nada disto for possível, a violência que por ventura iria praticar, abstenha-se dela, em assim procedendo, estará dentro do espírito da campanha e contribuindo para a redução da violência. Junte-se a nós, abrace esta causa;
  2.  As campanhas, geralmente, são financiadas ou mantidas com recursos angariados da população, formando o tripé: “A”, pedindo a “B” em favor de “C”, num gesto louvável de solidariedade.

5) Não é resposta a violência sofrida:

  1. Na minha família ninguém sofreu agressão física, moral ou outros atos que caracterizem violência. A campanha tem como princípios e fundamentos: A paz mundial, resgatar o moral da família tornando-a reserva de valores e despertar no cidadão a consciência do exercício da cidadania, expressados nas mensagens: “O mundo quer paz, seja mensageiro dela”, “Família, expressão máxima do amor manifestado na felicidade de todos e, seus membros, testemunhando a bondade de Deus encarnada no ser humano”, “Unir forças contra a violência é solidarizar-se com as vítimas” e no lema: “Se deseja paz, combata a violência”;
  2. As demais campanhas do gênero, normalmente, surgem em resposta à violência sofrida por um ente querido. Elas, possuem seus méritos.

Joaquim Cândido da Silva – idealizador

Sobre o Autor



Comente

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Entendemos que a forma mais civilizada e simpática de combater a violência é promovendo a paz. Construir a paz é urgente e necessário. É missão de todos.
Acompanhe