--> Vitória da paz sobre a guerra | Campanha Contra a Violência Skip to main content

Vitória da paz sobre a guerra

Paz “Sim”, Guerra “Não”!

I) Porque não à guerra?
Guerra é um mal maior que reúne em si: ambição, vingança, ódio, injustiça, destruição, sentimento, ressentimento, tortura, mutilação, morte e todos os tipos de desgraças.

II) O que a guerra constrói ou fomenta?

  • Armas de destruição em massa, que macula e denigre o comportamento da espécie, e, sobretudo, coloca em risco a existência da humanidade;
  • Ódio no coração do ser humano, por conseguinte, gerando reação indesejável através de atos terroristas praticados por delinquentes oriundos e/ou fabricados por ela própria.

III) Conseqüências
Quebra de contratos, desagrega família, afeta a economia, desestrutura países, causa fome, vários tipos de doenças, tolhe liberdade, tortura, mutila, matam culpados e inocentes, civis e militares.

IV) Porque alguns governantes falam de paz e contraditoriamente provocam guerra, frente a tantas desgraças que ela provoca?
Devido à insensatez do ser humano e sua incapacidade de perceber que só o amor constrói.

A sociedade não é do Governo, nem da Igreja ou de outra instituição, é nossa. Se tivermos uma sociedade bem formada eticamente, seremos beneficiados, ao contrário, penalizados.

V) Suplico a Deus: Nos ilumine e ajude nesta tarefa difícil, mas não impossível.
Trata-se de um apelo ao Pai Eterno em favor de seus filhos que vivem e convivem meio a tantas dificuldades de ordem moral, ética e comportamentais. Faltam bons princípios, os valores não são observados, respeitados, e sim distorcidos. Não desmerecendo os animais eles possuem o que comer, beber e onde ficar. Enquanto, o ser humano é diminuído em seu valor, reduzido ao nada. Crianças disputam com os mais velhos e os fortes pão e lugar descente na sociedade, com cães e gatos migalhas desprezíveis que lhes sobram nos latões de lixo, com porcos e urubus, resto de comida podre nos montões de lixo.

“A ganância penaliza, escraviza, mata. O homem não percebe que só o amor constrói. Que a solidariedade o torna mais humanizado, justo e, por conseguinte, santo”.

Daí o pedido: “Deus” olhe para humanidade! Dê uma luz! Ajude-nos encontrar solução para tantos problemas! Que pessoas de todas as raças, credos religiosos, origens, faixas etárias, sem distinção de sexo, crenças, partidos e outras diferenças, possam viver e conviver em harmonia! “Que haja um mundo melhor, a paz vença a guerra e reine entre os povos”.

Temos convicção, que pela manifestação do amor de Deus e o fruto do trabalho dos homens, um dia, justiça e paz se abraçarão.

VI) Paz e bem a todos.

Paz é ausência de guerras, violência, perturbações sociais ou conflitos entre pessoas. Paz é sossego, serenidade e harmonia. Paz é um estado de espírito, um bem precioso, que provém de Deus e deve ser levada a todos.

Bem – qualidade atribuída a ações e obras humanas que lhes confere um caráter moral, austeridade moral, saúde, beleza, valor cultural, econômico, espiritualidade, conjunto de valores, virtude, perfeição.

Paz e bem: “pedimos a Deus que estenda estas virtudes a todos”.

VII) Paz na terra à humanidade.
Para a violência não existe fronteiras, ela acontece infelizmente, onde estiver o ser humano. Por conseguinte, nosso apelo: onde quer que esteja, lugar ou tempo e situação em que se encontre, procure identificar e erradicar as raízes da árvore do pecado e do crime chamada violência. Como pessoa de bem, não permita que ela venha prevalecer sobre a árvore da vida.

VIII) É inconcebível defender a paz sem respeitar valores e o sagrado direito de constituir família vivendo em ambiente sadio e condições favoráveis, condizentes com seu valor conforme o prescrito nas “Leis de Deus” e dos homens em “Direito de Família”.
Infelizmente, família nos dias atuais é uma instituição em extinção. Crescei e multiplicai é ordem do “Divino Mestre”. Não podemos aceitar pura e simplesmente a multiplicação, sem atender as condições básicas e justas conforme as necessidades da espécie, ao contrário, o mundo vai se transformar numa legião de miseráveis e famintos, vítimas, que trazem consigo a marca do sofrimento, causada pela crueldade humana. Das piores coisas que se possa perder chama-se “sensibilidade”. O homem imagem e semelhança de “Deus” deve agir conforme “Cristo” ensinou. Agindo de forma diferente, é imagem de “Deus” e semelhança do “Satanás”. “Escravizar o semelhante, em busca de fortuna é tornar-se escravo do patrimônio, atitude insensata que denigre e macula”. Pense nisto!

Em sã consciência, é inaceitável, que os poderes constituídos nas três esferas de governos e às organizações internacionais, eleitos ou não pelo povo, que devem harmoniosamente exercer suas respectivas atribuições em benefício da população que representam, venham sacrificar ou permitir o sacrifício do povo, razão de suas existências ou para atender interesses, às vezes escusos, de grupos e/ou de nações que não possuem compromisso com o bem estar do ser humano.

Os primeiros, os maiores e os mais sublimes atos dos governantes devem ser em defesa da liberdade, integridade física, moral e, garantir por justiça, o direito de viver em dignidade.

Com a palavra a Organização das Nações Unidas – ONU.

Ao Pai Eterno, um pedido. Não permita que em função do ódio, rancor, ressentimentos, mutilações e sequelas geradas por guerras ocorram vingança e, por conseguinte, mais derramamento de sangue sobre sangue já derramado.

Sobre o Autor



Comente

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Entendemos que a forma mais civilizada e simpática de combater a violência é promovendo a paz. Construir a paz é urgente e necessário. É missão de todos.
Acompanhe