Skip to main content

Sobre a Campanha

Construir a paz é urgente e necessário. É missão de todos. A paz e harmonia entre os povos dependem da forma de pensar, ser e agir de cada um e do nosso testemunho da bondade de Deus encarnada no ser humano. Entendemos que a forma mais civilizada e simpática de combater a violência é promovendo a paz. Para que isto aconteça é necessário que aprendamos respeitar e conviver com as diferenças, exercitando a cultura do perdão e da paz.

Combater a violência

fazer alguma coisa contra a violência em prol da paz mundial

Levar paz e bem a todos

Exercitando a cultura do perdão e da paz

Promover paz à humanidade

Construir a paz é urgente e necessário.

Transformar o ser humano em mensageiro da paz

Por vezes sentimos que aquilo que fazemos não é senão uma gota de água no mar. Mas o mar seria menor se lhe faltasse uma gota.

Madre Teresa de Calcutá

Fique por dentro

Homenagem à paz

Joaquim é uma personalidade importante da nossa cidade que carrega sempre consigo uma mensagem de paz e tolerância. Fazer uma homenagem ao seu Joaquim é fazer uma homenagem à paz.

Edmilson Magalhães

Edmilson Magalhães, Vereador, Câmara Municipal de Montes Claros

A busca da paz

Na terra dos montes claros, que apontam para o infinito em busca de paz, amor e justiça, o ideal de um homem está presente em campanha permanente contra a violência. Este homem é Joaquim Cândido da Silva. Com uma personalidade de exceção, espírito iluminado, mentalidade superior, em sua vocação de servir, a si mesmo se impôs uma tarefa, que é enorme e encontra seu primeiro obstáculo na indiferença daqueles a quem ele pretende beneficiar.

Petrônio Braz

Petrônio Braz, Escritor e advogado, Academia Montes-clarense de Letras

A Campanha Contra a Violência salvou minha vida

Vindo de Brasília/DF para Januária/MG, três assaltantes pararam o ônibus em que viaja. Dois deles vieram em minha direção, colocaram uma arma na minha cabeça e outra no tórax, queriam me matar achando que era um policial. Pedi que poupassem minha vida, eles não atendiam. Só quando viram na minha carteira o adesivo com os dizeres “Paz, Amor e Justiça – Campanha Contra a Violência”, que desistiram da execução e de me roubar.

Petrônio Braz

Marcelo Ricaldoni Alves, empresário, saiba mais sobre o caso