--> Parábola da Xícara e o Café | Campanha Contra a Violência Skip to main content

Parábola da Xícara e o Café

Um grupo de ex-alunos, todos muito bem estabelecidos profissionalmente, se reuniu para visitar um antigo professor da universidade. Em pouco tempo, a conversa girava em torno de queixas de estresse no trabalho e na vida como um todo.

Ao oferecer café aos seus convidados, o professor foi à cozinha e retornou com um grande bule e uma variedade de xícaras – de porcelana, plástico, vidro, cristal; algumas simples, outras caras, outras requintadas; dizendo a todos para se servirem. Quando todos os estudantes estavam de xícara em punho, o professor disse:

“Se vocês repararem, pegaram todas as xícaras bonitas e caras, e deixaram as simples e baratas para trás. Uma vez que não é nada anormal que vocês queiram o melhor para si, isto é a fonte dos seus problemas e estresse. Vocês podem ter certeza de que a xícara em si não adiciona qualidade nenhuma ao café. Na maioria das vezes, são apenas mais caras e, algumas vezes, até ocultam o que estamos bebendo.

O que todos vocês realmente queriam era o café, não as xícaras, mas escolheram, conscientemente, as melhores xícaras… e então ficaram de olho nas xícaras uns dos outros. Agora pensem nisso: Na vida perdemos grandes oportunidades por causa da xícara, mergulhamos em nosso egoísmo de querer tudo da forma mais perfeita e nos esquecemos do real objetivo de nossa existência, buscamos mais a xícara (aparência, dinheiro, posição social) do que o café (A vida o amor).

A Vida e o amor são o café, e o resto são as xícaras. Elas são apenas ferramentas para sustentar e conter a Vida e o tipo de xícara que temos não define, nem altera, a qualidade de Vida que vivemos. Às vezes, ao concentrarmo-nos apenas na xícara, deixamos de saborear o café que Deus nos deu.”

Deus coa o café, não as xícaras… saboreie seu café!

Amigos,
Qual de nós pode dizer, hoje, que tem paz no coração?
Qual de nós pode dizer que, hoje, tem paz na consciência?
E se não podemos dizer que a temos, é porque nós mesmos a deixamos escapar.
É tempo de conseguirmos ter paz verdadeira novamente. Mas, para isto é preciso que mudemos radicalmente de vida. Você está disposto a mudar?

Fiquemos com a Santíssima Trindade e com Maria Santíssima, a Rainha da Paz.

Por Aluízio da Mata

Sobre o Autor



Comente

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Entendemos que a forma mais civilizada e simpática de combater a violência é promovendo a paz. Construir a paz é urgente e necessário. É missão de todos.
Acompanhe